sexta-feira, agosto 25

(Conto) A Lenda do Guaraná


Oi pessoal.

Ano passado trouxemos um conto do nosso folclore em homenagem ao mês de Agosto que é o mês do folclore, e como a recepção foi bem legal este ano vamos trazer de novo uma história do nosso povo para vocês conhecerem e quem sabe correr atrás de outras histórias que não sejam aquelas já famosas como o saci.



A Lenda do Guaraná


Lá no meião da floresta Amazônica, viviam os índios Maués e entre eles um um jovem casal, muito feliz e muito amado pela tribo. Mas o casal vivia a grande infelicidade por não conseguir ter filhos. Certa noite, aconselhados pelo pajé, resolveram buscar ajuda do grande deus Tupã e pediram-lhe então, a graça de poder terem um filho.

Que foi prontamente atendido pelo deus e meses depois, a índia deu a luz a um menino.

O pequeno índio crescia saudável e feliz. Sendo amado por todos, pois era muito bondoso, criativo, prestativo e cheio de alegria. O curumim era a verdadeira sensação da tribo e sua família muito admirada. Inclusive quando da data de seu nascimento até mesmo as guerras entre as tribos acabaram trazendo uma época de paz e fartura. 

Mas os espíritos do mal que ainda viviam na floresta não gostaram desses presságios e a fama do curumim se espalhou pela floresta e chegou ao conhecimento de Jurupari, um espírito muito vingativo. E Jurupari cheio de inveja passou a acompanhar o pequeno índio. Como podia ficar invisível, ninguém o via. 

Então, em um certo dia, o pequeno índio saiu sozinho para colher frutos na floresta foi quando o malvado Jurupari aproveitou-se da ocasião e transformando-se em uma serpente venenosa picou o menino. E o pobre indiozinho morreu quase que instantaneamente. O veneno da serpente era muito poderoso para o seu frágil corpinho de criança.

Depois de um tempo vários índios a aldeia partiram em busca do menino, preocupados com sua demora, quando o encontraram todos choraram o ocorrido. Neste momento raios e trovões caíram ao redor da aldeia Tupã, que é o Trovão, também chorava a morte do bondoso curumim. E a tristeza pairou por toda a tribo.

Em desespero por sua triste perda a mãe do pequeno índio escutou a mensagem de Tupã que dizia: Você deve enterrar os olhos da criança. E assim foi feito, e os olhos do curumim foram 'plantados' nas imediações da aldeia.

Algum tempo depois no lugarzinho em que haviam sido enterrados o olhos da criança, brotava uma linda plantinha, com fruto vermelho que se abre para mostrar uma polpa branca com uma negra semente, o Guaraná, que por dentro se parecem os olhinhos do menino.



E aí pessoal, já conheciam a lenda? Eu gosto bastante das lendas indígenas que contam a 'origem' das coisas, ano passado contei a história da Vitória Régia e desta vez a do Guaraná, acho tão legal quando as pessoas olham para algo e conseguem imaginar uma bela historia, e vocês? Deixem aqui para gente quais são as histórias que vocês conhecem e mais gostam.

Tentei contar a lenda de uma forma que lembre a vovó contando aos seus netos, espero que tenham gostado e até a próxima.

16 comentários:

  1. Jpa tinha ouvido falar, mas não com todos esse detalhes. Muito bom e interessante.

    ResponderExcluir
  2. JA CONHECIA POR ALTOS , MAS NAO COM TANTOS DETALHES.

    ResponderExcluir
  3. Gosto muito de posts sobre histórias que posso ler com meu filho, que possa acrescentar cultura ❤
    Gostei muito porque não conhecia

    ResponderExcluir
  4. Nossa cultura é riquíssima, mas não conhecia essa lenda, adorei!
    Aliás, guaraná é uma delícia, eu adoro!

    http://dailyofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bom? (:
    Nao conhecia essa lenda mas adoreeeei! Fiquei curiosa pra saber mais do conto. Amei sua análise, parece ser muito bom!
    Beijos, Yasmim.

    Blog: https://literarte.blog.br/

    ResponderExcluir
  6. arrasou, amei esse tema S2 bem elaborado e criativo.

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Adorei mesmo seu post! Eu não conhecia essa lenda. muito pertinente o post por aproveitar o mês de agosto. Acho que será útil para os docentes e curiosos.

    ResponderExcluir
  8. Acho tão legal quando encontro um blog que abordam assuntos assim, fico encantada em ver o qual rica nossa cultura é, e triste por ver o quão pouco as pessoas a conhecem. Eu, por exemplo, não conhecia essa lenda, mas fico feliz de ter visitado seu blog e aqui ter tido a oportunidade de conhecê-la e compreendê-la melhor.

    ResponderExcluir
  9. Que lenda mais triste e linda rs. Não a conhecia. Adoro essas lendas, muito fofas.
    Parabéns pela postagem

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Não conhecia, sou apaixonada por lendas e folclore e amei seu post, é sempre maravilhoso encontrar coisas tão diferentes nos blogs.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Nossa eu não conhecia e gostei bastante, acho tão interessante essas lendas rsrsrs.

    Amei conhecer um pouquinho, está de parabéns pelo post.

    Um beijo

    Blog Sussurrando Sonhos

    ResponderExcluir
  12. UAU!! Adorei essa lenda. Já conhecia a lenda em si, mas desconhecia muitos dos detalhes que você mencionou.

    BeijinhoBom
    Paula Cardoso
    Magia nas Palavras ♥

    ResponderExcluir
  13. Oiee
    Nao conhecia essa lenda, mas achei fascinante.
    Parabéns pelo post!

    ResponderExcluir
  14. Olá,
    Simplesmente adorei a postagem que nos remete sim àquelas histórias contadas pela vovó, trazendo aconchego e nos entretendo.
    Não conhecia nada sobre a lenda do guaraná e gostei muito de saber alguns detalhes sobre ela.
    Confesso que sou totalmente desligada em relação ao folclore, conhecendo muito pouco.

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Sinceramente não lembro de ter lido sobre essa lenda e fiquei muito feliz de conhecê-la. Confesso que não conheço muitas coisas do nosso país e isso é uma vergonha. Mas vou procurar saber outras histórias e conhecer mais sobre a nossa cultura.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  16. Fiquei meio assustada hahauah, ótima lenda, realmente lembrei da minha avó me contando histórias, beijos.
    papo-da-viana@blogspot.com

    ResponderExcluir