segunda-feira, agosto 28

(Cronicas Vampirescas) e (resenha) #39 Sangue e Ouro

Título: Sangue e Ouro
Autor: Anne Rice
Gênero: Drama, Sobrenatural
Desafio #39 Livro que comecei e não terminei

Sinopse: Anne Rice, conta a história de dois de seus enigmáticos personagens - Marius e Thorne, poderosos 'Filhos das Trevas'. O primeiro, deseja vingança contra um antigo inimigo, enquanto o segundo, anseia pelo reencontro com sua criadora. Revelando o sombrio mundo dos seres imortais, "Sangue e Ouro" aborda os sofrimentos inerentes à vida eterna.

Olá gente,

Olha só nossa coluna Cronicas Vampirescas e o Desafio 54 Temas se une. Sim, foi por causa desse livro que fiz a coluna do Crônicas, e porque nunca tinha terminado esse livro?

Altas tretas naquela época, juntando ao fato de ainda não estar adaptada a escrita altamente descritiva da autora, ao fato que eu queria ver mesmo era o Lestat, em fim muita coisa e eu deixei o livro de lado até que o desafio me trouxe a ele de novo, será que me arrependo de ter demorado tanto para lê-lo?
- Entendo - disse o outro bebedor de sangue. - Eu sei.
Aquelas eram as primeiras palavras que Thorne proferia em voz alta para alguém em anos e anos, ele fechou os olhos para poder apreciar o momento. A memória era uma maldição, é claro, pensou ele, mas também a maior das dádivas. Porque, se você perder a memória, perdeu tudo.
Neste livro conheceremos um novo personagem, Thorne, um vampiro nórdico que foi feito por uma das mais antigas Vampiras, é para ele que Marius conta sua história que remonta aos milênios, ele passa bem por cima da sua transformação, já que vimos isso no livro Vampiro Lestat, mas vamos ver muito embate entre Mael e Marius ao longo da época do Império. Mael foi quem sequestrou Marius e o levou até o Vampiro que o transformou e depois com Santino, o vampiro lider de um bando de Satanistas que lhe deu um dos golpes mais dolorosos.

É difícil fazer um resumo da história, mas em um panorama geral Marius nos conta sobre seus amores e perdas ao longo de dois mil anos, um apaixonado pela arte e cultura, sempre enchendo suas residencias de livros e de suas próprias pinturas, onde sempre representava sua inesquecível Pandora.
Suas casas estavam sempre cheias de mortais filósofos e intelectuais, se fartando de vinho e outros prazeres enquanto Marius pinta e repinta suas paredes, até que uma tragédia se abate e ele perde tudo que presa, primeiro com os ataques bárbaros que destruíram Roma, depois, mais tarde, em Veneza, Marius terá outro grande golpe, e mais uma vez perderá tudo para o fogo, mas nada o havia preparado para os eventos de A Rainha dos Condenados.

Confesso que a leitura fluiu mil vezes melhor desta vez, ainda acho o começo meio arrastado, onde a história parece que rodeia demais, mas assim que nossos vampiros saem de Roma para Constantinopla a história dá uma boa engrenada, temos uma vilãzinha por lá que acha que a cidade é dela (aliás fiquei bem impressionada com ela queria que seu destino tivesse sido outro), mas o negócio fica bom mesmo quando Amadeo/Armand entra na história em Veneza, essa parte é contada com mais detalhes no livro Vampiro Armand, mas eu gostei de ver a visão da Marius dessa época, e mais tarde depois do ataque dos vampiros de Santino que levam Armans embora, vemos o sofrimento de Marius que transforma uma garota que ele nunca pensou em transformar para ajuda-lo.
E então fui descanar, sem jamais imaginar que essa era a última noite da nossa vida juntos, a última noite do meu poder supremo, a última noite de Marius de Romanus, cidadão de Veneza, pintor e mago, a última noite da minha Época Perfeita. 
Tudo isso acontece mas Marius nunca esqueceu sua grande amada Pandora, a moça que iria se casar com ele quando eram mortais, e acabaram se tornando amantes imortais, mas como os dois não se entendem, como são diferentes, parecem aqueles casais de romance, cada um com seus medos e desejos só pensando em si mesmos, querem se separar querendo ficar juntos, e assim nosso casal segue pelos milênios se lamentando e fugindo um do outro.

Gente ainda bem que estava em um estado de espirito bom para ler o livro, Marius é obcecado por pintura, então ele sempre volta a este tema, o que pode se tornar cansativo, incluído para mim que também amo este mundo, mas eu também fiquei obcecada esses dias, no meu caso por uma música, e este fato me fez conectar com Marius, eu sabia o que ele estava sentindo e o quanto ele queria falar sobre aquilo então acabei passando bem por essas partes.

Agora vamos a pergunta lá em cima, será que eu me arrependo de não ter lido o livro antes? Não gente, acho que tudo tem uma hora, e talvez se eu tivesse lido antes não teria gostado como gostei agora, como já falei eu estava na vibração certa agora e não antes. Aliás quero até reler Vampiro Armand que tinha me decepcionado um pouco para saber se no meu estado de agora tenha uma experiência diferente.

Para finalizar preciso falar que amo demais meu anjo Armand, no livro dele ele se mostra bem 'garotinha apaixonada de YA' mas isso não me fez abandona-lo a história dele é muito triste e o moldou de uma forma inexorável e eu acho que o Marius é um pouco culpado nisso tudo, o garoto só queria explicação o que Marius não estava afim de dar. Mas quer saber se fosse eu no lugar acho que faria a mesma coisa detesto ficar sem explicações, mas também odeio dar, acho que nesse sentido eu e Marius somos muito parecidos sendo o solitário no meio de muitos, obcecada com meus próprios assuntos, aprendi a não pedir explicações que já que não as quero dar.
- Ah, é verdade, isso você me ensinou - disse Thorne - e eu realmente a amo, na medida em que ela é tenra e complexa, como você disse com tanta delicadeza. Mas veja bem, eu sou um guerreiro e nunca fui talhado para a eternidade. E o ódio que você nutre por Santino é igual à paixão que nutro por ela. E a paixão pode ser para o mal ou para o bem. Não tenho como me controlar.
Indico para todos que gostam de um bom drama, com toques históricos, românticos e reflexivos sobre o amor e solidão.

13 comentários:

  1. Oi Daniele, confesso que não conhecia esse livro, já tinha visto outros títulos da autora, mas nunca cheguei a ler os livros. Vejo que esse tem muita ação e drama, e para mim livros assim, temos que estar em sintonia como você falou, senão a leitura não flui! Gostei de sua resenha! Abraços

    ResponderExcluir
  2. Nunca li nada dessa autora, amo vampiros, parece uma série muito boa. São muitos livros?

    ResponderExcluir
  3. Olá. Tenho conhecimento de vampiros muito mais reais do que esses. Eles existem, e adoram sugar uma energia alinhada com a deles. Mas isso é uma outra história. Bom, voltando ao livro, parece ser bem densa a leitura, parece. Eu não tenho muita afinidade com histórias assim. Vi alguns filmes em que essa trupe é retratada, mas como citei, sempre nesta redoma fantástica. Mas se ao menos leva-nos a refletir sobre amor, então há boas possibilidades na trama. Até!

    ResponderExcluir
  4. Oi Daniele.

    Adorei sua resenha, porque eu tenho alguns livros da série. No entanto eu não tenho esse que você resenhou. Fiquei bastante interessada em conhecer Thorne e vou tentar adquiri-lo o mais rápido possível.

    Bjos

    ResponderExcluir
  5. Oi, Tudo bom?
    Já tinha ouvido falar no livro, mas nunca li, amo o universo vampiresco, sou super fã de leituras com essas criaturas, fiquei bem interessada na leitura dessa narrativa.
    Beijos, Joyce de Freitas.

    ResponderExcluir
  6. Oie! Já havia ouvido falar sobre as obras da autora, mas nunca tive a chance de ler. Não gosto muito de histórias cujos personagens são vampiros, mas acredito que seria legal dar uma chance a essa. Só não sei se eu entenderia sem ler as outras, pois vários dos acontecimentos você disse que são de outros livros, certo? Achei muito legal o que você disse de não se arrepender, pois é realmente assim: se houvesse lido antes, de certo que a experiência seria bem diferente. Gostei demais da resenha.

    Beijos, beijos.

    ResponderExcluir
  7. Oie!

    Nunca li nada da autora, mas tenho bastante curiosidade de conhecer as obras e histórias de vampiros dela, todos falam muito bem então acredito que irei gostar também! Tirando as capas que são bem sombrias e despertam bastante a curiosidade dos leitores!


    Bjss, vem participar do nosso sorteio serão três ganhadores, valendo um livro Fuck Love, um livro surpresa + um kit de mimos não perca a oportunidade! http://resenhasteen.blogspot.com.br/2017/08/sorteio-do-desapego-3-ganhadores.html

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Ótima resenha, adorei! Nunca li nada da autora e nem conhecia esse título, mas gostaria de me aprofundar mais em histórias desse tema. Obrigada pela indicação!
    beijos

    ResponderExcluir
  9. Oii, tudo bem?
    Ainda preciso terminar de ler o primeiro volume da série hahaha a história desse livro parece ser bem desenvolvida, fiquei curiosa para conhecer o personagem Thorne. Adoro histórias de vampiros e, depois dessa resenha, me sinto fortemente tentada a retomar minha leitura kkkkk
    Amei a resenha!
    Beijos,
    Karina.
    Páginas Empoeiradas

    ResponderExcluir
  10. Oii
    Não tenho uma boa história com vampiros, rs
    Assim como você, tentei a algum tempo atrás ler Anne Rice, mas não consegui, exatamente pelas descrições tediosas desde o início do livro, mas nunca tentei uma segunda vez.
    Fico feliz em saber que a segunda tentativa foi melhor, mas como já disse, não me dou muito bem com os vampiros, então acho que esse é o motivo de não ter tentado novamente.

    Vícios e Literatura

    ResponderExcluir
  11. AMO CRONICAS VAMPIRESCAS!!!! AMO ANNE ARROZ!!! huahuauhauha
    Ainda não cheguei nesse livro mas to super empolgada!!
    Adorei sua resenha!!! Não vejo a hora de ler tmb!!

    Beijos!

    #Ana
    https://literakaos.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  12. Oi, Daniele, tudo bom?

    Eu sempre tive uma curiosidade para conhecer a escrita da Anne Rice e seus vampiros, mas ao mesmo tempo estou meio extasiado dessa parte da ficção fantástica, então é algo que eu deixaria mais pra frente. E é realmente como você disse, tem livros que tem horas para serem lidos, tanto que isso já aconteceu comigo também.

    Abraços,
    http://claqueteliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Olá, tudo bem? Tenho muita vontade de conhecer crônicas vampirescas, porém ainda não tive oportunidade. Também gosto de pintura, mas da maneira que ela é descrita pode tornar-se cansativa mesmo. Gostei da sua resenha e fiquei bem aguçada de ler. De fato, temos um momento certo para ler um determinado livro. Se essa foi a sua hora e que estava no tempo certo, okay. Adorei!
    Beijos,
    https://diariasleituras.blogspot.com/

    ResponderExcluir