sexta-feira, maio 12

(Dicas) #35 Livro que te faça chorar


Olá pessoas lindas! Pegue seu lencinho que hoje o tema é para suar o olhos!

Confesso que sou uma manteiga derretida, choro bastante principalmente vendo filmes, mas em livros é mais difícil, tem que estar bem imerso no drama da história, mesmo assim mesmo que as lágrimas não venham ainda tem aquele aperto na garganta e a ressaca literária.

Vamos as dicas de livros para chorar litros!



1 Litro de Lágrimas, O diário de Aya
Falando em chorar litros, vamos começar por esse livro japonês, uma garota com uma doença grave junto com o fato de ser um história real, tem tudo pra fazer você desidratar!

Sinopse: Um Litro de Lágrimas é um livro baseado na história real de Kito Aya que, com 15 anos, descobre ser portadora de uma doença degenerativa sem cura.
Aos poucos Aya vai perdendo a capacidade de fazer a maioria das coisas de que gosta, o que a deixa bastate triste.
Agora mais do que nunca, ela precisa de todo o apoio de sua família e amigos para que seja capaz de seguir em frente.
Um livro realmente emocionante.



A Cidade do Sol, Khaled Hosseini
Para quem se emocionou com O Caçador de Pipas, esse livro também vai tocar seu coração.

Sinopse: Mariam tem 33 anos. Sua mãe morreu quando ela tinha 15 anos e Jalil, o homem que deveria ser seu pai, a deu em casamento a Rashid, um sapateiro de 45 anos. Ela sempre soube que seu destino era servir seu marido e dar-lhe muitos filhos. Mas as pessoas não controlam seus destinos.
Laila tem 14 anos. É filha de um professor que sempre lhe diz: "Você pode ser tudo o que quiser." Ela vai à escola todos os dias, é considerada uma das melhores alunas do colégio e sempre soube que seu destino era muito maior do que casar e ter filhos. Mas as pessoas não controlam seus destinos. Confrontadas pela história, o que parecia impossível acontece: Mariam e Laila se encontram, absolutamente sós. E a partir desse momento, embora a história continue a decidir os destinos, uma outra história começa a ser contada, aquela que ensina que todos nós fazemos parte do "todo humano", somos iguais na diferença, com nossos pensamentos, sentimentos e mistérios.


A menina que roubava livros, Markus Zusak
Um plano de fundo trágico e um escrita emocionante, 

Sinopse: Ao perceber que a pequena Liesel Meminger, uma ladra de livros, lhe escapa, a Morte afeiçoa-se à menina e rastreia suas pegadas de 1939 a 1943. A mãe comunista, perseguida pelo nazismo, envia Liesel e o irmão para o subúrbio pobre de uma cidade alemã, onde um casal se dispõe a adotá-los por dinheiro. O garoto morre no trajeto e é enterrado por um coveiro que deixa cair um livro na neve. É o primeiro de uma série que a menina vai surrupiar ao longo dos anos. O único vínculo com a família é esta obra, que ela ainda não sabe ler. Assombrada por pesadelos, ela compensa o medo e a solidão das noites com a conivência do pai adotivo, um pintor de parede bonachão que lhe dá lições de leitura. Alfabetizada sob vistas grossas da madrasta, Liesel canaliza urgências para a literatura. Em tempos de livros incendiados, ela os furta, ou os lê na biblioteca do prefeito da cidade. A vida ao redor é a pseudo-realidade criada em torno do culto a Hitler na Segunda Guerra. Ela assiste à eufórica celebração do aniversário do Führer pela vizinhança. Teme a dona da loja da esquina, colaboradora do Terceiro Reich. Faz amizade com um garoto obrigado a integrar a Juventude Hitlerista. E ajuda o pai a esconder no porão um judeu que escreve livros artesanais para contar a sua parte naquela História.


Sete minutos depois da Meia-Noite, Patrick Ness
Quer coisa mais triste que uma morte eminente da própria mãe para um garoto? Esse até a Dani, Coração de Pedra, quase não resistiu.

Sinopse: Conor é um garoto de 13 anos e está com muitos problemas na vida.
A mãe dele está muito doente, passando por tratamentos rigorosos. Os colegas da escola agem como se ele fosse invisível, exceto por Harry e seus amigos que o provocam diariamente. A avó de Conor, que não é como as outras avós, está chegando para uma longa estadia. E, além do pesadelo terrível que o faz acordar em desespero todas as noites, às 00h07 ele recebe a visita de um monstro que conta histórias sem sentido.
O monstro vive na Terra há muito tempo, é grandioso e selvagem, mas Conor não teme a aparência dele. Na verdade, ele teme o que o monstro quer, uma coisa muito frágil e perigosa. O monstro quer a verdade.
Baseado na ideia de Siobhan Dowd, Sete minutos depois da meia-noite é um livro em que fantasia e realidade se misturam. Ele nos fala dos sentimentos de perda, medo e solidão e também da coragem e da compaixão necessárias para ultrapassá-los.


Maley e Eu, John Grogan
Se já leu de tudo, mas seu coração é peludo, duro feito pedra, nada como um livro com animais pra gente cair em prantos.

Sinopse: John e Jenny eram jovens, apaixonados e estavam começando a sua vida juntos, sem grandes preocupações, até ao momento em que levaram para casa Marley, "um bola de pêlo amarelo em forma de cachorro", que, rapidamente, se transformou num labrador enorme e encorpado de 43 quilos.
Era um cão como não havia outro nas redondezas: arrombava portas, esgadanhava paredes, babava nas visitas, comia roupa do varal alheio e abocanhava tudo a que pudesse. De nada lhe valeram os tranqüilizantes receitados pelo veterinário, nem a "escola de boas maneiras", de onde, aliás, foi expulso. Mas, acima de tudo, Marley tinha um coração puro e a sua lealdade era incondicional. Imperdível.



Pax, Sara Pennypacker
Esse é para chutar o balde, se você é pior que a Dani, ninguém vai resistir a esse combo, plano de fundo de guerra, criança desamparada e animal fofinho, é quase uma covardia com os corações.

Sinopse: Peter e sua raposa são inseparáveis desde que ele a resgatou, órfã, ainda filhote. Um dia, o inimaginável acontece: o pai do menino vai servir na guerra, e o obriga a devolver Pax à natureza. Ao chegar à distante casa do avô, onde passará a morar, Peter reconhece que não está onde deveria: seu verdadeiro lugar é ao lado de Pax. Movido por amor, lealdade e culpa, ele parte em uma jornada solitária de quase quinhentos quilômetros para reencontrar sua raposa, apesar da guerra que se aproxima. Enquanto isso, mesmo sem desistir de esperar por seu menino, Pax embarca em suas próprias aventuras e descobertas.
Alternando perspectivas para mostrar os caminhos paralelos dos dois personagens centrais, Pax expõe o desenvolvimento do menino em sua tentativa de enfrentar a ferocidade herdada pelo pai, enquanto a raposa, domesticada, segue o caminho contrário, de explorar sua natureza selvagem. Um romance atemporal e para todas as idades, que aborda relações familiares, a relação do homem com o ambiente e os perigos que carregamos dentro de nós mesmos.
Pax emociona o leitor desde a primeira página. Um mundo repleto de sentimentos em que natureza e humanidade se encontram numa história que celebra a lealdade e o amor.


Qual livro que mais te emocionou? Lembro que chorei lendo Harry Potter por causa do Snape T__T

10 comentários:

  1. Semmmmm oooooorrrrr, que post desidratante!!!
    Não li todos, mas os que li, foi chorar por dias. A Cidade do Sol, só de lembrar, meu olho arde.
    Adorei o banner do post.... rs
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Nossa... tem livro ai que demorou a curar a ressaca! Só livro que realmente você chora! não aquele chorinho de mimimi e sim aquele choro compulsivo!

    Adorei a seleção!

    Bjos

    ResponderExcluir
  3. Olá
    Acredite ou não, mas eu nunca chorei lendo um livro kk, sou bem coração de pedra kkk. O máximo o que fiquei foi triste, mas não cheguei a chorar. Dessas suas dicas eu não lembro nenhuma, mas já vi centenas de vezes Marley e Eu, e acho um filme fantástico
    Até mais

    ResponderExcluir
  4. Oie, tudo bem!?! Adorei a lista. Com exceção do Pax, que eu não li, todos os outros foram definitivamente pensados para nos desidratar.
    Adorei a lista!
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Oie! Tudo bem?

    Dos livros que você citou, li somente A Menina que Roubava Livros e com toda a certeza chorei em muitas partes dele! Dos outros ainda não li nenhum, mas bem dizer todos estão na minha lista de leitura e espero ler em breve!

    Bjss

    ResponderExcluir
  6. Oi, Caroline
    A cidade do sol com certeza é um livro para chorar, e olha que o Caçador de pipas me emocionou ainda mais. O Khaled é meu autor favorito.
    Marley e eu não me fez chorar, só no filme, e horrores haha
    Adorei o post!

    Blog Livros, vamos devorá-los

    ResponderExcluir
  7. Oi.
    Nossa, eu evito, mas nem sempre dá pra fugir desses livros. Prefiro as histórias que me fazem rir.
    Dessa lista só li a menina que roubava livros.

    Até mais!!
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bem?
    Dá sua listinha já li “A menina que roubava livros” e “Marley e Eu”, chorei bastante com os dois. Vou anotar as outras dicas!!
    Bjs!
    Fadas Literárias

    ResponderExcluir
  9. Olá linda,

    As lágrimas até apareceram só de ler os títulos e lembrar das emoções que tive ao ler todos eles. A menina que roubava livros quebrou meu coração em mil pedaços, porque chorei litros quando li essa obra e chorei mais ainda quando assisti ao filme.

    O primeiro japonês não conheço e vou atrás.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Olá!

    De todos aí, só li Marley e Eu e A Cidade do Sol e são tristes mesmo. Tirando A menina que roubava livros, são ótimas dicas.

    ResponderExcluir